Até quando?

By Leonardo Carvalho - sexta-feira, setembro 25, 2015

Não é incrível como a mesma história se repete? Você liga a TV e no Jornal a notícia de mais uma vítima de tiroteio. Mais uma vítima da guerra sem fim entre policiais e traficantes. Não é revoltante que casos assim estampem os jornais mais uma vez?

Comunidade faz manifestações, se mobiliza em revolta, ateia fogo em pneus em sinal de protesto por mais uma morte, por mais um inocente assassinado por uma bala que não se sabe de qual lado partiu.
Os Moradores acusam a Polícia. A Polícia acusa os Traficantes. E nessa disputa irão ficar até a poeira abaixar e não sobrar mais nada a não ser a triste memória do garoto Herinaldo de 11 anos, atingido na cabeça ao sair de casa para comprar uma bola de pingue pongue. A família terá de conviver com a injustiça, de não saber os culpados. Ouvirão apenas o silêncio da omissão de quem deveria fazer alguma coisa.

Não é absurdo que as autoridades nem mesmo irão se manifestar? Que o máximo que farão é enviar uma nota à redação dos noticiários dizendo que irão abrir uma investigação. E essa tal investigação nem mesmo sairá do papel. Pois quem irá acompanhar o processo? Quem cobrará depois?

Não é ridículo que o preconceito ainda mova tantos à falar inverdades e caluniar inocentes?

“Se morreu é porque estava envolvido com coisa errada! À toa ninguém morre! ”

Não é insuportável? 

Até quando iremos assistir a esse circo e achar normal? Será que ainda resta sensibilidade em nós? Isso não pode ser apenas mais uma baixa, precisa ser um grito de repúdio. Justiça precisa ser reclamada. Que nossa voz se una, que nossa indignação gere a busca por uma sociedade que demostre compaixão e abomine o preconceito. Que os mais pobres não pereçam a mercê da irresponsabilidade das autoridades desumanas. Se você, assim como eu, sente pesar por mais essa trágica perda, é sinal que ainda não tiraram de nós a humanidade de nos consternarmos pelo próximo.

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários

Comente e nos ajude a compartilhar este post. Reforme-se!